Dívida

Frígido.
Olhos cegos. Escuridão. Calafrios.
Tateei o lado direito da cama. Nada de calor, além do travesseiro inerte.
Busquei meus óculos no criado mudo. Pus no rosto, liguei o abajur. E olhei pro lado.
Confirmei , você se tinha ido.
Mais uma vez, saiu sem esperar pelo pagamento.
Mas tudo bem, os poemas que te devo ficam acumulados para o nosso próximo encontro.

8 comentários:

  imarty

12 de fevereiro de 2010 22:39

hm, esse eu nao tinha visto, gosto de blogs q se atualizam.

  Alana Queiroz

12 de fevereiro de 2010 22:44

tem meio que um ar de misterio,gostei disso!

  Kimankada

12 de fevereiro de 2010 23:06

seu blog tem mt potencial, seus textos tb, vc tem muita ideia na cabeca em!!

  deBorest o BLOG

12 de fevereiro de 2010 23:42

bem interessante, duplo sentido ;D visite meu blog deborestt.blogspot.com

  Bikelando

12 de fevereiro de 2010 23:55

Me parece solidão cotidiana, como se estivesse acostumado à ausência após os encontros ... uma relação aberta?
Ficção ou realidade? Fiquei curiosa.

  Nathalie

13 de fevereiro de 2010 10:25

Vc escreve muiiito bem.
Parabéns! :)

  iMarty Turbo

14 de fevereiro de 2010 18:26

legal esse blog

  BLOG

14 de fevereiro de 2010 18:27

Lwgal

Mt legal Busquei mesus oculos no,criado mundo XD mt bom