Untitled III

Ao cair da noite
Tu cais em meus braços.
O gozo cai sobre nós.
A minha honra cai ao chão
E a minha alma sobe aos céus.

2 comentários:

  Isaac Linhares

2 de setembro de 2010 11:59

"E a minha alma sobe aos céus."

(Nas núvens do inferno, não é, caro amigo?)

Medeiros, um dia alguém me disse: "Você, vai ser um sucesso." Não me toquei que tu estavas do meu lado, notei hoje, que aquelas palavras, claro, foram pra ti cara!

kkkk

Felicidades!

  Brennon

27 de janeiro de 2011 21:49

Ainda fico perdido sem saber por qual "Medeiros" tenho mais admiração. Se o Medeiros escritor que faz de suas "mal traçadas linhas" uma passagem pra vida real, se é o "Medeiros" calmo, sereno e conselheiro que sempre me dá o ombro quando estou nos meus momentos de tempestade, se é o "Medeiros" menino que se desespera por alguma travessura da vida, se é o "Medeiros" culto que aprecia bons vinhos e proporciona maravilhosas embriaguez, se é o "Medeiros" namorador que encanta suas "vitimas" facilmente deixando-as apaixonadas por seu jeito sedutor ou se é o "Medeiros" que se apaixona fácil e (como todo mortal) sofre por amor. Não sei. Sinceramente, meu grande amigo, não sei. O que sei é que tenho vários "irmãos" cada um assume seu posto na hora certa fazendo com que eu agradeça a Deus todos os dias por colocar um anjo, um protetor e um irmãozão na minha vida. Te amo meu grande amigo!