Eu, lápis. Você, papel.

Leia ao som de "Tatuagem" de Chico Buarque

Risco-te, rabisco-te.
Desenho-te com lápis e mancho-te com carvão.
E no braile escrito a dente em teu corpo, escrevo nossa história.
E no sangue do teu talhe que escorre em minhas unhas, escrevo nossa história.

26 comentários:

  Eric

6 de março de 2011 20:54

O Chico Buarque sempre será o poeta da boa musica né. Com palavras sempre bem colocadas em cada trecho da música. Enfim, qualquer comentário não chegaria a dizer realmente o que significa comentar Chico Buarque.

http://futebol-emfoco.blogspot.com/

  Samara Santos

6 de março de 2011 20:57

Palavras tão singelas, mas que ditas com tamanha grandeza, que transcede inspiração, amor, alento.

  Kyanne Carvalho

6 de março de 2011 21:17

Nossa, fiquei arrepiada ao ler essa.
Você descreve uma história bem intensa, cheia de aventuras e apaixonante. Como se um não pudesse sobreviver sem o outro, assim como o papel precisa do lápis para valer alguma coisa. AMEI.

Se acertei, diga no meu blog por comentário: http://kyannesmind.blogspot.com/

Estou te seguindo. Primeira visita, de muitas outras...

  Saullo Lopes

6 de março de 2011 21:18

Poético e bem Profundo
RsrS
Passa Lá
http://minhavidaunderground.blogspot.com/

  Matheus Araújo .

6 de março de 2011 21:32

Nossa Poema Profundo e a Próposito essa música : Tatuagem é muito booa :D

  Rubi

6 de março de 2011 21:42

Chico Buarque sim é um clássico!
Um gênio da musica ;)

  Mizael

7 de março de 2011 12:32

Nossa cara, como vcs conseguem escrever com tanta sensibilidade?
Puxa, só sei escrever um texto 'direto' e 'grosseiro'.
Sou fã de quem escreve assim.
Abraço!

http://miizaell.blogspot.com/

  Anjo Noturno

7 de março de 2011 20:44

Inspira imaginações
Passa lá tbm.. ;)
http://estigmaangel.blogspot.com/

  dinho-music

9 de março de 2011 22:52

palavras Intensas, bem legal esse post, chico buarque um gênio.

  Talita xavier

9 de março de 2011 22:56

Eu particulamente amey
eu adro passar em blog onde tem texto assim q tocam a gente
parabeens

http://thaa03.blogspot.com/

  Loverocklive

9 de março de 2011 23:03

Um belo texto parabéns.

  Gustavo Torres

9 de março de 2011 23:05

Linda poesia, espero que poesias assim nunca morram, ótimo post pra se valorizar essas coisas


http://iliketeenworld.blogspot.com/

  Juss ⋆ Junior Oliveira

9 de março de 2011 23:13

Gostei muito tanto da indicação musica, quanto do texto. Instiga a imaginação...

Parabéns pelo blog.
http://inthisboots.blogspot.com/2011/03/1004-exercito.html

  dinho-music

9 de março de 2011 23:21

Poético e bem intenso.

  Luis Valensi

9 de março de 2011 23:34

brother!
curti muito teu blog!
vc segue uma linha simples e direta!
gostei muito mesmo!
favoritei já!
voltarei sempre!
abs

;]

  Iah

10 de março de 2011 19:29

Vi cenas de "Budapeste" enquanto lia.

  Samara Santos

11 de março de 2011 22:30

Vontade doida de tatuar alguém na minha vida.

  Alex Monteiro

11 de março de 2011 22:37

Essa música é muitoo Linda!
Parabens pelo blog!
Visita o meu se puder!
www.farofanordestina.blogspot.com
:D

  Ingrid Melo

11 de março de 2011 22:42

Gostei muito...
Muito profundo o que escreveu!
Parabéns!!!

  Ulisses Coelho

11 de março de 2011 22:51

nao sei o q vc consodera um comentario decente... mas a ideia desenvolvida como um dialogo c a musica do chico buarque é mto boa...e o q vc fez dela tb ficou interessante...










PS: ia apenas colocar bom e interessante!

  Viccitor

11 de março de 2011 22:58

acho que foi bem escrito, essa ideia de "leia ao somo de..." é muito boa, a poesia toma outras formas e sensações. Continue assim.

  paradigmas universal

11 de março de 2011 22:58

Essa prisão qualquer vento solta.

  Ailton Junio

11 de março de 2011 23:12

é como uma alma aprisionada ao sentimento sem razão.

http://centraltop.blogspot.com/

  Paula

11 de março de 2011 23:16

Chico Buarque é fantástico. Lindo esses versos.
Gostei mto do seu blog.
Abraços.

  dinho-music

13 de março de 2011 00:33

Linda canção

  Luisa Guimarães Couto.

1 de julho de 2011 13:27

Uma releitura profunda da música. Aprecio tua arte de transcrever textos de uma forma bem mais intensa ;)